23 de abril de 2009

Quinto Papel

O solitário opcional desceu a noite
Tornou das trevas seus afinos temporais
Deu a elas suas coragem entre vergonhas
E como vantagem, garantiu sua humilde estadia.

Sentado à beira dos reseses imorais
Serve de consolo a quem passa triste
Em devaneio privado, lava conselhos com água da fala
Tal fala é trêmula, indecisa como o incerto.

Já sem voz como guia do escuro
Se entregou ao convívio sem claridade
Por sobre lascas de virtudes caqueadas
No lugar sem luz sob o céu sem estrelas.

Octavio Peral, Anderson Ferreira e Carlos Augusto

Um comentário:

Gabriel disse...

ai ate q fico manero